Beleza

«A beleza, Monsieur, não é tanto uma qualidade do objecto considerado quanto um efeito produzido naquele que a considera. Se os nossos olhos fossem mais fortes ou mais fracos, se a compleição do nosso corpo fosse outra, as coisas que nos parecem belas nos pareceriam feias e aquelas que nos parecem feias tornar-se-iam belas. A mais bela mão vista ao microscópio parecerá horrível. Certos objectos que, vistos de longe, são belos, são feios quando os vemos de perto, de maneira que as coisas consideradas nelas mesmas ou na sua relação com Deus não são nem belas nem feias».

– Spinoza, Lettre LIV a Monsieur Hugo Boxel, Septembre 1674, p. 291.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s