A luz da Caniceira

 
«Deeper meaning resides in the fairy tales told to me in my childhood than in any truth that is taught in life.»

– Schiller, “On the Aesthetic Education of Man”.

 

Reza a lenda que, em terras de Alcácer do Sal, uma mãe solteira teve um filho ilegítimo. Assim que este nasceu, lançou-o ao forno onde cozia o pão, por medo da condenação pelos residentes locais. A alma penada do menino recém-nascido transformou-se então numa luz que errava pelos caminhos e só era visível durante a noite, perseguindo e causando pânico aos noctívagos. Brilhante e intermitente como uma lâmpada, a luz possuía o tamanho de um punho cerrado. Diz-se que um homem que andava à noite a cavalgar na Herdade da Palma viu a luz e, praguejando sem querer, ofendeu-a. De imediato, o cavaleiro sentiu uma bofetada que lhe deixou na fronte a marca de uma queimadura.

Adaptado da tradição oral

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s