Walada

“Afastados um do outro, o meu corpo está vencido de paixão por ti, e não cessam as minhas lágrimas… Dir-se-ia que não passámos a noite juntos, envolvidos apenas na nossa união, enquanto a nossa boa estrela fazia baixar os olhos daqueles que nos censuravam… Éramos dois segredos no coração das trevas, até que a voz da aurora se aprontasse a denunciar-nos”.
– Ibn Zaydun (1003-1071, Córdova), referindo-se à princesa Walada.

 

É apreciável que a poesia islâmica da época áurea seja tão consistente, por poder ser sempre lida em dois planos, no empírico determinado (Córdova, 1003-1071) e no intemporal indeterminado.

Walada (a verificar a sua forma escrita em árabe) significa “dar à luz”. Duplo sentido também.

Anúncios

2 thoughts on “Walada

  1. É pena que a literatura islâmica da Península Ibérica, e também a moçárabe, seja tão pouco conhecida do público.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s