Comentário a um título do senhor Tavares

[Prólogo: Não li o livro. O comentário que se segue reduz-se estritamente ao título. Há poucas críticas de títulos. Esta pretende sê-lo.]

.

O título “Uma Menina está Perdida no seu Século à Procura do Pai” do senhor Tavares não é inocente, ou melhor dito, não é um título de menina inocente, nem sequer de menina perdida. É um título de menina que procura um pai, que leva o pré-conceito de pai para a sua procura. Uma menina judaico-cristã. Para todos os efeitos, uma menina anti-nietzscheana.

Porque, se a menina que deu nome ao título fosse inocente, ela procuraria tudo em vez de um pai. Ela não cruzaria os caminhos montada no seu complexo psicanalítico-familiarista. Ela não se triangularia no Eu-O Papá-e-A Falta que Ele me faz. É uma menina que não sabe procurar. Uma menina que se encontra já sitiada no meio dos seus nós cerebrais.

Não, este título não serve de mote aqui a esta menina. Esta menina não procura Padre, Pátria, nem Patrão. Esta menina já é Pai de si mesma o bastante para não ter de o procurar enquanto Outro transcendente. Esta menina procura, mas não lhe falta nada – nenhum paizinho, nenhum apagador de lamentações. Esta menina aqui não se lamenta. Esta menina encontra SEMPRE o que procura e procura SEMPRE o que encontra – não sofre de faltas. Aliás, a única coisa que lhe falta é mesmo o cérebro parental, daí, a sua inocência. E sempre que o recupera é para lhe dar dores de cabeça, pelo que trata de se livrar dele o mais rápido possível.

Mas esta menina, entenda-se, não é a menina que dá título à obra de M. Tavares – essa anda à procura do pai, coitadinha… Não tenho pena nenhuma dela. Penas cabem às galinhas, e as galinhas sujeitam-se aos patrõezinhos de serviço, cantando de galo lá do seu poleiro: Cocorococó! “Lá está o meu pai!” – cacarejam elas.

Um título nobre, um outro título, seria “Uma Menina perdeu-se do seu pai e encontrou o Século”. Ah, isso é que seria um título! O título de uma menina simultaneamente órfã e órfica. Um dia o século o será… Procuram-se meninas capazes de encontros assim.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s