Nocturno

Vieste até mim um tempo antes
dos Cristãos soarem os sinos.
O crescente lunar erguia-se no alto
como a branca sobrancelha de um velho
ou a delicada curva de um pé.

E, apesar de ainda ser noite,
quando vieste,
um arco-íris luziu no horizonte,
exibindo cores, tantas quantas
as da cauda do pavão.

– Tradução de poema de Ibn Hazm in Ibn Said al-Maghribi’s Pennants of the Champions.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s